Guerra na Ucrânia pode impactar a economia de MS – Correio do Estado

    449
    0

    Rodolfo César, Súzan Benites
    25/02/2022 09:00
    Com os ataques do governo russo a diferentes regiões da Ucrânia iniciados na madrugada desta quinta-feira (24), o setor econômico mundial entrou em alerta e respingos desse cenário devem atingir Mato Grosso do Sul no período de curto e médio prazo.  
    O Estado mantém um comércio internacional direto com a área em conflito, principalmente nos setores de celulose, soja, carne bovina e gás natural. 
    Indiretamente, a extensão dessa guerra pode influenciar no preço futuro de fertilizantes e mexer com a logística na Europa, que é um grande comprador de MS.
    O comércio internacional direto com a Rússia está mais ligado à importação de gás natural, que é trazido em meio líquido e processado no Brasil para ser utilizado em indústrias instaladas principalmente em Campo Grande e redondezas.  
    Essa aquisição é para suprir a demanda que não consegue ser atendida por meio do gasoduto Brasil-Bolívia. Campo Grande é uma das principais cidades do Estado que mantém negócios com os russos.  
    Em 2021, a importação daquele país representou US$ 34,3 milhões, um aumento de 415% na comparação com o ano anterior. Na lista de produtos dessa balança comercial estavam adubos, aparelhos de circuitos elétricos e gás natural.
    Como o conflito está no início, ainda não se sabe quanto tempo as ofensivas vão durar e qual será a dimensão. Essas incertezas são motivos de apreensão.  
    O titular da Secretaria de Estado de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, ressaltou que uma amplitude geopolítica do conflito terá sérios impactos na economia local, caso na disputa haja o envolvimento de outros países.
    “A gente tem de tomar um pouco de cuidado e avaliar a dimensão dessa guerra. Pelo que vemos, a situação é grave. A Ucrânia tem pontos estratégicos complexos. Está perto da Rússia, da Europa e da China. A grande questão é saber se será uma guerra de fronteiras entre a Rússia e a Ucrânia ou se vai ter dimensões geopolíticas internacionais”, opinou.
    A Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) informou que, como a disputa começou recentemente, os reflexos diretos não foram sentidos. A relação comercial é pequena com a Ucrânia, e isso gera um cenário menos preocupante.  
    Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.
    Fique informado com quem tem credibilidade.
    Início
    Últimas Notícias
    Opinião
    Cidades
    Política
    Economia
    Esportes
    Correio B
    Classificados
    Edição Impressa
    Institucional
    Expediente
    Comercial
    Termos de Uso
    Av. Calógeras, 356, Centro
    portal@correiodoestado.com.br
    (67) 3323-6090
    (67) 9.9976-0469

    source

    Previous articleImpostômetro atinge a marca de R$ 1,5 trilhão – Agência Brasil
    Next articleO sobe e desce da economia – InfoMoney

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here